O Palácio, Que Engrandeceu Godoy E Foi Vestiário De Rainhas Em Casamentos Reais

Desde o Palácio de Godoy, assim como conhecido como Palácio dos Grimaldi, saíram Maria Cristina e Victoria Eugenia, o dia de seu casamento. A primeira, para tornar-se a mulher do rei Afonso XII e a segunda para casar com o rei Afonso XIII.

Localizado próximo ao palácio do Senado, pela Praça da Marinha Espanhola, esse edifício foi mandado desenvolver por Carlos III. O monarca comprou os terrenos para edificar a que seria a residência do Secretário de Estado e tuas dependências administrativas.

O arquiteto montou ao longo dos anos de 1779 e 1780, em pedra e tijolo, sem arredar-se dos critérios clássico-barrocos característicos de sua obra em Espanha. Jerónimo Grimaldi, secretário de Carlos III, não chegou a viver nele e o video o conde de Floridablanca, secretário de Carlos IV.

Mas foi Godoy, que o levou ao seu máximo esplendor. “Godoy amplia o espaço ao adquirir uma moradia ao lado e mete-se em obras. Mandou chamar os pintores da Corte e usou objetos bem selecionados”, explica a ABC Glória Gomez do Polegar, chefe da Área de Distribuição de Publicações do Centro de Estudos Políticos e Constitucionais (CEPC) instalado no edifício.

  • Um Fontes da doutrina islâmica
  • 1 Campeonato do México (V 2002)
  • Dez.2009 | 15:51
  • quarenta e dois Monte Porter
  • seis – Dress code
  • 9 Brian (capítulo 6)

A monumental escadaria do palácio não é a original desenhada por Sabatini porque Godoy contratou outro arquiteto, quando ampliou a tua estadia. “Uma escada tipo império, que sobe até o segundo caminhar, muito extenso em comparação ao que é hoje o palácio”, aponta o responsável. O valido do rei, decorou o interior com afeto, com afrescos, telas pintadas, mármores, pinturas e esculturas dos maiores artistas da data.

“Godoy era caprichoso e tinha várias coisas, entre elas uma enorme coleção de pintura. Era companheiro de Goya que pintou pra este palácio quatro pinturas”, diz Glória Gomez do Polegar. Em 1808, com a chegada das tropas napoleônicas em Madrid, esse palácio foi a moradia do general francês Joaquim Murat, cunhado de Napoleão.

“a Partir daqui, dirigiu as operações do Dois de Maio e nessa época desaparecem várias coisas”, conta a responsável pelas publicações do CEPC. E desde logo prontamente teve vários usos. Lá veio o Conselho do Almirantado, a Biblioteca Real e imensos ministérios (o de graça e Justiça, Guerra, Fazenda e Marinha).

o que foi o palácio, “é coisa pouca, contudo sim se podes ver a história do que foi”, reconhece o responsável. No pátio descobre-se um poço do qual se diz que era a entrada pra uma passagem para comparecer ao Palácio Real.

Conserva identicamente alguns dos tectos pintados com motivos diferentes, como são pássaros e borboletas, decoração que poderia corresponder à fração “feminina” da tua estadia. O que se crê que foi o quarto de Godoy tem em teu teto, pinturas com uma espécie de leques e esfinges.

Também são de comprovar as portas originais do século XVIII, situadas na entrada da antiga capela. Neste centro, são realizadas tarefas de formação, onde se destaca um master especializado em Direito Constitucional, e de edição de livros e revistas. Conta com um centro de documentação e de uma biblioteca para alunos e pesquisadores.